Feedback: Verdade com Amor

Feedback: Verdade com Amor

O Ano Fiscal pode começar em Janeiro, em Março ou Setembro. Pode-se antecipar ou adiar esta tarefa, mas em algum momento do ano acontecerá o ritual de contratação de metas ou da avaliação de desempenho e feedback.

Para alguns dos meus clientes em projetos de Coaching Executivo e de Carreira, esta é a hora. Implantação de softwares para registro do processo, sessões de engajamento de equipe, treinamentos em metodologias em técnicas de feedback. Por que razão então os prazos para conclusão deste processo são constantemente adiados?

Já perceberam como o feedback fala muito mais sobre quem o dá do que sobre quem o recebe?

Independente da técnica adotada pela empresa como modelo para este processo, em última instância estamos falando da relação entre duas pessoas. O esforço para padronizar a avaliação de desempenho acaba por torna-lo impessoal e o medo de encarar este momento gera sucessivos atrasos.

Como uma relação entre duas pessoas, o feedback requer que ambos estejam na mesma sintonia para sua efetividade. Dá-lo em tom de superioridade e carregado de críticas pessoais ou recebê-lo em posição de inferioridade portando-se como uma vítima perseguida não levará a lado algum. Ambos devem conversar como adultos, abordando as necessidades de lado a lado para a evolução da relação e direcionamento dos aspectos comportamentais não alinhados.

Percebo que muitos encaram este como o momento em que deve-se dizer a VERDADE para a equipe, o que chega a causar reações físicas ou até levar à perda do sono, tamanha a ansiedade. No afã de não perderem a admiração de seu time, apressam-se a desqualificar seu próprio feedback (seu comportamento tem tido este impacto, MAS não é sempre, MAS não é tão grave…) ou a infantilizar a sua posição do líder.

Acredito que a melhor dica para o momento do feedback é fazê-lo com AMOR. Sim, AMOR pode parecer estranho quando aplicado ao universo corporativo, mas entenda-o como empatia, respeito, cuidado, consideração e colocar-se a serviço do desenvolvimento de sua equipe, afinal de contas, você já esteve nesta posição e empatia pode fazer toda a diferença.

Dizer MENTIRAS COM AMOR pode até servir para a autoproteção e gerar aprovação da equipe, mas da mesma forma irá gerar desconfiança, estagnação e reforçar comportamentos indesejados.

Dizer a VERDADE COM AMOR pode até surpreender em um primeiro momento, mas seguramente irá gerar mudança e crescimento profissional.

Para mais dicas de coaching, entre em contato!

Compartilhe a dica com seus amigos:

Luciano Paiva

Luciano Paiva é Coach de Vida e Carreira. Após 20 anos no mundo corporativo, Luciano se dedica a inspirar pessoas a entender o sentido em suas atividades diárias e aplica-lo em sua vida pessoal e profissional.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial