7 passos para colocar seus planos em ação

7 passos para colocar seus planos em ação junho 13, 2015Leave a comment
planos em ação

Seus planos e sonhos em ação

Uma grande parte do fracasso na execução do planejado está em não transformar nossas estratégias em pequenas ações cotidianas e em última instância, fazer com que cada uma de nossas pequenas ações construam aos poucos o ponto aonde se quer chegar. Carlos Ghosn, CEO da Renault e Nissan e um dos 25 executivos mais influentes do mundo afirma que 5% do sucesso é planejamento e 95% é execução apropriada do que foi planejado. Acredito que um dos pontos chave para se conseguir melhores resultados na execução das ações planejadas é conferindo-lhes sentido, deixando-as assim muito mais palpáveis. Confira a seguir 7 dicas práticas para colocar mais execução em seu planejamento estratégico, deixá-lo mais concreto e assim conseguir o engajamento necessário para a concretização do que foi planejado, afinal de contas, parafraseando Thomas Edson, “sucesso é 1% inspiração, 99% transpiração”. Mãos à obra!

  1. Torne tangíveis seus objetivos e a forma como alcançá-los: a dica aqui é muito simples: materialize o cenário atual e seus objetivos, torne-os visíveis! Limpe a mesa da sala de jantar, pegue alguns post-its ou papéis coloridos e mão na massa! Em uma extremidade da mesa coloque em um post-it o desenho de seu cenário atual, o ponto onde está hoje, aquilo que hoje causa desconforto. Na extremidade oposta coloque em um post-it aquilo que deseja alcançar, a situação desejada. Ver onde estamos e a distância de nossos objetivos e começamos a criar novos padrões neurais e ligações químicas que associadas à prática contribuem para a concretização do planejado, habituando o cérebro a este cenário de conquista. Como nos diz Ram Charan, “a execução é uma disciplina. Nenhum atleta jamais teve sucesso sem disciplina e treino”.
  2. Seja honesto com seus objetivos: Este ponto é de importância fundamental para irmos em frente. Muitas vezes, nas sessões de coaching, encontro clientes que trazem como objetivo, por exemplo, uma declaração bastante clara e direta ao ponto: Quero emagrecer! Pergunte-se com sinceridade que tipo de emoção está por trás deste objetivo. De acordo com a resposta, este objetivo final pode mudar drasticamente. Se por exemplo você ouvir de seu íntimo uma resposta como… “quero me sentir mais bonita, com a autoestima mais elevada”, entenda se seu objetivo final não seria “Me sentir mais bonita” ou ainda “elevar minha autoestima”. O emagrecimento pode ser apenas uma das diversas estratégias (assim como mudar o corte de cabelo, reestruturar o guarda roupas, começar a fazer um esporte de que realmente gosta, tornar-me uma pessoa que os outros desejam ter por perto, afinal de contas não é apenas a aparência física que eleva a autoestima…). O importante aqui é que seu objetivo final faça sentido para você, para que você “compre” todo o seu planejamento.
  3. Tenha indicadores de sucesso muito claros: muito tempo, estudo e suor será investido na execução deste planejamento. Tenha muito claro para você todos os sinais de que seu planejamento foi bem sucedido. Além disso, ter clareza sobre quando irá alcançá-lo. Tudo pode ser mensurado, quantitativa ou qualitativamente. Crie seus próprios indicadores. Coloque em post-its ao lado de seu objetivo, todos os indicadores de que o retorno sobre seu investimento valeu a pena! “Conseguir um aumento de 10%”, “Ter ao menos 80% das estratégias cumpridas dentro do prazo”, “Baixar do manequim 46 para 42”, “Receber elogios quanto à minha aparência física”, “Sentir que minha efetividade em reuniões evoluiu de uma nota 4 para uma nota 7”. Esta é a única maneira de saber exatamente onde está e a que velocidade está se movendo.
  4. Entenda seu contexto: Voltemos agora para seu cenário atual. Com a ajuda de seus post-its, coloque ali tudo o que está impactando seu momento e de certa forma impedindo que passos consistentes sejam dados em direção aos seus objetivos. Aqui não cabe censura ou julgamento. Tudo é importante. Como é possível evoluir com o objetivo de “Empreender dentro de um ano” sem ser bastante honesto consigo mesmo e compreender que “tenho medo de que minha esposa não aprove esta ideia”, “meus pais poderão ficar sem meu apoio para pagar o plano de saúde”, “não tenho coragem para deixar meu emprego atual porque não sei como contar o meu chefe que tanto me apoiou”, “tenho medo de ser um fracasso completo”. Nas palavras de Peter Druker, “Planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras, mas com o futuro de decisões presentes.” Portanto, entenda todos estes pontos que o seguram hoje, brinque com suas anotações. Elas concorrem com seu cenário atual, bloqueiam, correm paralelamente? Qual destes pontos que, uma vez resolvidos, farão com que todos os outros percam a importância? O próximo passo então é estabelecer um plano de ataque aos principais pontos que o mantém acorrentado à situação atual, afinal de contas “o planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão necessários hoje, para merecermos um futuro. O produto final do planejamento não é a informação: é sempre o trabalho.” (Peter Drucker)
  5. Entenda o passo a passo até seu objetivo final e priorize suas ações: Peço agora que você dedique especial atenção para este espaço vazio entre seu cenário atual e seu objetivo futuro. Qual o intervalo de tempo para que este se realize? Uma semana? Seis meses? Um ano? Dois anos? O que realmente interessa neste ponto é que o tempo para execução das ações planejadas seja factível. Qualquer objetivo pode ser acomodado neste intervalo, desde “Montar mala de mão para viagem de 30 dias pela Europa” até “transição de carreira concluída”. Compartimentalize suas ações, entenda o encadeamento entre cada uma delas, como cada ação será o trampolim para a próxima. Nas palavras de Bernardinho: “É importante ter metas, mas também é fundamental planejar cuidadosamente cada passo para atingi-las.” Novamente, com a ajuda de seus post-its, distribua suas ações ao longo do caminho até seu objetivo. Neste ponto, você pode também utilizar o recurso do planejamento reverso para deixar esta etapa mais clara. A partir de seu objetivo concretizado, pergunte-se “O que deveria ter acontecido imediatamente antes disso?”. Entenda as ações, busque pelos gaps de planejamento, priorize cada etapa. Talvez uma boa dica aqui seja dividir a caminhada em várias pequenas etapas para que a correção de rota seja mais rápida e eficiente possível. “Selecione as ideias e execute-as. 80% das ideias estão na execução” (Ram Charan)
  6. Peça ajuda! Você já colocou tudo no papel, bem diante de você. Como aumentar a chance de bons resultados? Peça ajuda! Conhece alguém que passou pela mesma transição que você deseja? Fez movimentos similares em outra indústria?  Apresente seu planejamento e a forma como suas etapas se conectam. Pergunte se esta pessoa faria alguma coisa diferente, se foi necessário colocar atenção em alguma etapa específica do caminho. Não tem para quem pedir ajuda? (Acho difícil…) Use sua imaginação! Vá para um ângulo novo ao redor de sua mesa de trabalho. Identifique alguém a quem conheça bem ou com quem se identifique pela sabedoria naquele tema (um guru, um grande executivo, um chefe exemplar), coloque-se no lugar dele e pergunte qual conselho daria para a execução deste planejamento. Sua intuição nunca falhará.
  7. Comemore cada passo: Agora é partir para a execução. Transfira o resultado final para um papel e mantenha-o sempre à sua vista e assuma um compromisso regular de checar  o seu avanço. O que fiz pelo meu objetivo esta semana? Talvez seja melhor até agendar um horário na sua agenda tão complicada…e não falta, hein? Você é capaz de manter os compromissos que assume com você mesmo? No mais, comemore, e muito, cada pequena vitória na trajetória rumo ao que você realmente deseja.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe

O que você quer transformar?